sábado, agosto 05, 2017

RESPEITE MARISA, LULA! - POR RICARDO NOBLAT 

O ex-presidente Lula, condenado por corrupção e réu em cinco processos, aproveitou, ontem, o 14º Encontro da União Nacional por Moradia, realizado em São Paulo, para se defender da “caçada judicial e midiática” de que se julga vítima. Criticou o governo. E disse que sairá em caravana pelo país para conversar com o povo.


Até aí nada demais. Mas como quem fala muito acaba dizendo o que não deve, Lula comentou a certa altura do seu discurso:

– Se quiserem me condenar, achem uma prova. Eles são responsáveis pela morte precipitada da dona Marisa. Eu sei o que meus filhos estão passando. Mas eu não vou perder a cabeça.

Eles, quem? A mídia? Os procuradores da Lava Jato? O juiz Sérgio Moro? O governo? Todos eles juntos – e sabe-se lá mais quem?

Não foi a primeira vez que Lula culpou os outros pela morte de sua mulher. E pelo visto não será a última. No velório de Marisa, em meio a um choro sem lágrimas, ele disse:

– Marisa morreu triste pela canalhice, leviandade e maldade que fizeram com ela… Quero provar que os facínoras que levantaram leviandades contra ela tenham um dia a humildade de pedir desculpas. Esse homem que está enterrando sua mulher hoje não tem medo de ser preso. Descanse em paz, Marisa. O seu ‘Lulinha Paz e Amor’ vai ficar aqui para brigar por você.

O ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, presente ao velório, observou a propósito do que Lula havia dito: “Obviamente, se tem alguma situação, é derivada da emoção que motiva esse tipo de doença. Acabou acarretando o agravamento”. O ex-ministro Gilberto Carvalho foi mais enfático:

– A ameaça de prisão dos filhos dela, do próprio Lula e dela mesma levou Marisa a uma tristeza terrível nos últimos tempos. Não tenho dúvida nenhuma que a tensão desse quadro causou isso.

Marisa morreu no último dia 3 de fevereiro por complicações decorrentes de um AVC (acidente vascular cerebral) do tipo hemorrágico. De acordo com Roberto Kalil Filho, chefe da equipe médica que a atendeu, ela tinha um aneurisma diagnosticado há mais de dez anos. A causa da morte foi o rompimento do aneurisma.

Com histórico de pressão alta, Marisa fumava muito e desprezava os exercícios físicos. Era uma mulher de “temperamento forte e sangue quente”, segundo pessoas íntimas do casal. Direta e enérgica quando dava suas opiniões, foi casada com Lula por 43 anos.

Deu-lhe três filhos. E cuidou praticamente sozinha deles enquanto o marido fazia política. Por conta de brigas, não foram poucas as vezes que Lula acabou obrigado a dormir no sofá do apartamento onde ainda mora em São Bernardo do Campo.

Marisa costumava dizer que Dilma era responsável pelo desgaste da imagem do PT e que não defendia Lula publicamente desde quando a Lava Jato começara a investigá-lo. Do marido, cobrava uma postura mais discreta que protegesse sua família.

Em 2016, junto com Lula, Marisa virou ré em dois processos. Depois de sua morte, em depoimento prestado a Moro, Lula sugeriu que o tríplex do Guarujá, reformado de graça pela construtora OAS para abrigar a família, era coisa de Marisa, dele não. Sabe como é mulher…

Lula é um homem que mandou os escrúpulos às favas desde que descobriu as delícias do poder – primeiro como líder sindical, depois como presidente de partido.

Viveu à base de obséquios prestados por amigos, admiradores e gente interessada em se aproximar dele para fazer negócios. Enriqueceu com a política. Hoje, luta para não ser preso.

Respeitaria mais a memória da ex-mulher se a pranteasse sempre que quisesse sem, no entanto, tentar tirar proveito político da sua morte.

Blog do Noblat – O Globo