quinta-feira, agosto 03, 2017

O JOGO NAS SOMBRAS DO PT PELA PERMANÊNCIA DE MICHEL TEMER 

É difícil precisar o real peso da posição do PT na sessão dessa quarta-feira(02) na Câmara dos Deputados para a conquista do quórum necessária para a realização da votação da denúncia contra o presidente Michel Temer. Enquanto o líder do partido na casa, Carlos Zaratini(SP), se empenhou em convencer o restante da oposição de que o melhor a ser feito seria marcar presença para garantir que se alcançasse a marca dos 432 presentes, sob a alegação formal de que não seria possível evitar que a votação ocorresse, outros dizem que o jogo não foi bem esse.


O deputado Silvio Costa(PTdoB-PE) expôs suspeitas sobre a estratégia de alguns membros da oposição ainda durante a sessão dessa quarta-feira(02).”Estou indignado. Já colocaram 300 deputados na Casa ao meio-dia. Estou desconfiado que tem muita gente fazendo o jogo do governo. Estamos cometendo um erro terrível”, chegou a afirmar.

Reforçam as suspeitas a decisão do governador da Bahia, Rui Costa(PT), de exonerar dois secretários estaduais para retomaram seus mandatos de deputado federal e votassem pelo arquivamento da denúncia apresentada pelo procurador-geral Rodrigo Janot, ou seja, a favor do relatório de Paulo Abi-Ackel(PSDB-MG). Aliados justificaram que um possível afastamento do presidente seria ruim para o governador, isso porque a ascensão de Rodrigo Maia(DEM-RJ)–presidente da Câmara, primeiro na linha sucessória de Temer e um dos nomes mais cogitados para sair vitorioso em eventual eleição indireta–poderia dar força a ACM Neto(DEM), rival petista na Bahia.

As manifestações populares contra o peemedebista no dia decisivo também foram fracas e não contaram com aparato dos movimentos sociais ligados ao PT compatível com a importância do evento.