quinta-feira, dezembro 18, 2014

RELEMBRE AS MORTES QUE MARCARAM O ANO DE 2014

O ano de 2014 também foi marcado pelas mortes. A mais trágica delas, sem dúvidas, foi a do político Eduardo Campos. O candidato à Presidência da República pelo PSB morreu depois que o avião em que ele estava caiu em Santos. Seis pessoas da sua equipe de campanha também estavam no jato. Os restos mortais do político foi enterrado sob gritos de "guerreiro do povo brasileiro".

Na Bahia, algumas mortes também causaram comoção. A prefeita de São Francisco do Conde, Rilza Valentim, não resistiu a uma embolia pulmonar provocada por conta da doença que sofria, a anemia falciforme. Em 2014 também perdemos o ex-prefeito de Salvador, Renan Baleeiro; o prefeito de Dom Basílio, no Sudoeste da Bahia,Marilton Tanajura Matias, e o arquiteto João da Gama Filgueiras Lima, o Lelé, responsável pelos projetos do Hospital Sarah Kubitschek, do Palácio Thomé de Souza, onde funciona a prefeitura, do Centro Administrativo da Bahia e de passarelas de Salvador.

Empresários que marcaram a história do país também faleceram neste ano. Norberto Odebrecht, engenheiro e fundador do Grupo Odebrecht, morreu aos 93 anos no Hospital Cárdio Pulmonar, em Salvador. Além dele, partiram Hugo Miguel Etchenique, fundador da Brastemp, uma das mais importantes indústrias do país;Antônio Ermírio de Moraes, presidente de honra do Grupo Votorantim e Samuel Klein, fundador da rede de lojas de eletrodomésticos, Casas Bahia.





Brasileiros também se despediram de muitos artistas em 2014. Alguns já estavam doentes, como Paulo Goulart, que morreu aos 81 anos, vítima de câncer, e do ator Hugo Carvana, 77 anos, que também lutava contra a doença. Já as mortes mais inesperadas de 2014 foram as do ator José Wilker, vítima de infarto fulminante enquanto dormia em sua residência no Rio de Janeiro, e a do ator Robin Williams, declarada oficialmente como "suicídio"

O mundo também chorou com a perda do humorista Roberto Bolaños, conhecido por interpretar o famoso personagem Chaves e do ator norte-americano Philip Seymour Hoffman, de 46 anos, que foi encontrado morto no apartamento onde morava, em Nova York.

Outras perdas que chamaram atenção da mídia foram as do humorista Canarinho, do compositor e cantorNelson Ned, e do ator baiano Nilson Mendes. O mundo da música foi pego de surpresa com a morte do cantor Jair Rodrigues e do último integrante da formação original da banda Ramones que ainda estava vivo,Tommy Ramone, aos 62 anos.

Outras personalidades conhecidas nacionalmente que partiram em 2014 foram a vidente Benedicta Finazza, mais conhecida como Mãe Dináh, e o sucateiro "Seu Lunga".


O universo das letras perdeu em 2014, seus maiores gênios. Em janeiro, Anna Amélia Vieira Nascimento, membro da Academia de Letras da Bahia, morreu aos 83 anos. Em abril, o escritor colombiano Gabriel Garcia Márquez, morreu aos 87 anos na Cidade do México. O ganhador do prêmio Nobel de Literatura, enfrentava as limitações da demência senil, como a perda de memória.

Nacionalmente conhecido, o escritor e acadêmico baiano João Ubaldo Ribeiro morreu aos 73 anos. Ele estava em casa, no Leblon, Zona Sul do Rio, quando teve uma embolia pulmonar. Nascido em Itaparica, na Bahia, João Ubaldo era o 7º ocupante da cadeira número 34 da Academia Brasileira de Letras desde 1993. 

A ABL também perdeu outro grande nome da literatura nacional, Ariano Suassuna, que aos 87 anos sofreu umAVC hemorrágico. O escritor e dramaturgo recebeu diversas homenagens emocionantes na internet, como a do ator Matheus Nachtergaele, que interpretou João Grilo em "O Auto do Compadecida".

Em 2014 também nos despedimos de Rubem Alves, escritor e educador; do cartunista Antônio Luiz Ramos Cedraz, criador da Turma do Xaxado e do poeta Manoel de Barros.

Notícias ruins também circularam no futebol, como a morte do ex-atacante Fernandão, ídolo do Internacional, vítima de um acidente de helicóptero aos 36 anos, e do ex-atacante Washington, que morreu aos 54 de esclerose lateral amiotrófica, doença degenerativa. Também nos despedimos do campeão do mundo comocapitão da Seleção Brasileira em 1958, Bellini. O ex-técnico do Vitória em 2003, Lori Sandri, morreu vítima de câncer no cérebro.

O Brasil também lamentou a morte do apresentador e narrador Maurício Torres, do narrador Luciano do Vallee do médico e comentarista da Band, Osmar de Oliveira.

Ibahia